Nutricionista e apresentadora no quadro Sobre Perguntas e Respostas (programa Pop Station Band) www.ciclonovo.com.br @grazicaproni

Por Graziela Caproni

Tem gente que considera a vida muito curta para tudo que se pode usufruir dela. Todos desejam a longevidade, e que ela venha de preferência sem rugas, dores nas costas ou cabelos brancos. Hoje, o sonho de viver mais tempo só não é maior do que o de ser eternamente jovem (e esbelto…rs!). Porém, parece que chegamos a um impasse: o progresso tecnológico e social prolongou a nossa expectativa de vida, mas como viver melhor esses anos que ganhamos frente aos inúmeros agentes nocivos que são criados com os hábitos de vida desequilibrados?

O nosso corpo atualmente está exposto a incontáveis agressões que precisamos enfrentar para manter a saúde em dia e viver mais: estresse, depressão, sedentarismo, fumo, obesidade, consumo excessivo de sal e açúcar, bebidas alcoólicas, baixa ingestão de frutas e vegetais, poluição, radiação, dentre outros exemplos mais do que conhecidos e experimentados pela maioria de nós diariamente. Frente a isso, o uso de suplementos alimentares cresce no mercado e milhares de pessoas buscam por esses produtos na esperança de mais saúde, beleza e rendimento físico.

As promessas de resultados feitas pelos fabricantes podem não possuir qualquer respaldo científico, sendo embasadas em propagandas milagrosas do tipo “coma e beba o que quiser, pois os suplementos resolvem tudo”. Trata-se de uma bobagem, é claro. Milagres não acontecem, pelo menos não na relação entre o que se come, no modo em que se vive e o que se é. Não existem cápsulas mágicas que possam emagrecer, evitar doenças ou recuperar maus tratos crônicos ao organismo. É fato, ninguém conseguirá melhorar sua saúde sem parar de regularmente se alimentar mal. Uma hora essa conta será cobrada. Ponto. É, portanto, um erro colocar toda a responsabilidade da nossa saúde nos suplementos.

Suplemento

Quando bem prescritos e usados eles são poderosos não há dúvida, mas uma alimentação equilibrada e harmônica (com mais alegria e menos culpa), uma melhor percepção de si mesmo (observando e respeitando atentamente qualquer sinal que possa não fazer parte da sua fisiologia natural e habitual) e o bem-estar psíquico, são também “suplementos” essenciais na vida de quem quer prevenir os efeitos do tempo. Além disso, não se pode subestimar o valor dos alimentos que a própria natureza criou. Uma cápsula de vitamina C, por exemplo, é apenas vitamina C. Já um suco de acerola é vitamina C e mais um monte de nutrientes e ativos que atuam em sinergia com essa vitamina, potencializando o seu efeito. Vale ainda lembrar que os suplementos precisam encontrar um meio intestinal saudável e equilibrado para serem assimilados pelo organismo e como boa parte da população atual sofre de distúrbios gastrointestinais (esofagite, gastrite, constipação, flora desajustada, etc.), muitas vezes o que está sendo suplementado talvez seja absorvido aquém do esperado agregando poucos benefícios e resultados.

Ao considerar o uso de suplementos alimentares, a avaliação sobre quais nutrientes possam eventualmente estar em falta no alimento (devido condições como empobrecimento do solo, transporte, tempo de armazenamento, etc.) e no organismo (por deficiência de consumo e/ou distúrbios que afetem a absorção) deve ser questionada para que se obtenham os resultados esperados. Vale ressaltar que o uso exagerado e indiscriminado de algumas substâncias envolve riscos. Já está mais do que comprovado que o excesso de vitamina A, por exemplo, pode envolver complicações, como lesões no fígado. Portanto, a prescrição de suplementos nutricionais – por profissional capacitado, nutricionista ou médico dependendo da dose – deve sempre ser precedida de uma avaliação sistematizada, considerando as condições clínicas e detalhes individuais de cada um, enxergando a pessoa globalmente e a interação contínua de todos os órgãos e sistemas. Essa é uma forma consciente de consumir tais produtos, baseada em sua real necessidade, e assim aproveitando ao máximo seus benefícios, sem prejuízos ao seu bolso e à sua saúde!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui