Filmes
Artista de efeitos especiais brasileira atualmente baseada em Los Angeles, Califórnia

Por Tati Leite                                                     

Nas últimas décadas os efeitos especiais vêm ganhando cada vez mais destaque nas produções Hollywoodianas. Atualmente, todo filme campeão de bilheteria conta com a técnica, que tem como objetivo transportar o público para uma nova realidade.

É nesse contexto que desponta o uso da realidade virtual (RV), um sistema que faz uso de equipamentos eletrônicos como óculos, capacetes, luvas, para criar uma
experiência física em um mundo virtual, ou seja, um ambiente
criado exclusivamente dentro do computador. Atualmente, considerando apenas o mundo do cinema, existem três grandes aplicações dessa tecnologia: filmes 360 graus, cinemas 4D e sets de filmagem.

Os filmes 360 graus permitem que o usuário assista a história dentro do ambiente filmado, podendo mover seu olhar em qualquer direção. A produção “Carne y Arena”, do famoso diretor Alejandro G. Iñárritu, insere o espectador no deserto com uma família de imigrantes ao atravessar uma fronteira. Foi tão inovador que a academia do Oscar concedeu um prêmio especial por sua realização.

Já a realidade virtual em cinemas 4D visa proporcionar uma experiência mais intensa. O público vivencia o ambiente e os acontecimentos ao invés de apenas assistir. Com cadeiras que vibram e movem, além do uso de cheiros e ventos, faz com que o espectador tenha as mesmas percepções que os personagens.

Filmes
O Rei Leão

Mas não para por aqui. Agora essa tecnologia está sendo usada também nos sets de filmagem para criar os filmes. Diretores como Steven Spielberg e Jon Favreau exploram o uso da produção virtual para contar histórias de uma maneira nunca antes feita na história do cinema.

Em seu último filme “Jogador número 1“, lançado em 2018, Spielberg optou por uma produção virtual. Utilizando os óculos de RV, o diretor podia se colocar dentro do set de filmagem virtual e posicionar câmera, objetos, personagens e tudo mais que desejasse. Os ajustes podiam ser feitos em tempo real ampliando o poder de criação do diretor.

Jon Favreau também usou essa tecnologia em seus últimos filmes, “Mogli o Menino Lobo” e “Gnomos e Goblins”. Mas o mais esperado no momento é a regravação de “O Rei Leão”. O supervisor de efeitos especiais do filme, Robert Legato, enfatiza que o objetivo de uma produção virtual é possibilitar que o diretor consiga dirigir o filme como se estivesse no set de gravação com os atores. Utilizando os óculos de RV é possível caminhar na cena, ver os personagens e tudo que compõem o ambiente em 3D. As ferramentas de realidade virtual permitem a sensação de olhar o mundo virtual como se estivesse em um cenário real.

Com tantas mudanças e inovações, ficamos com a certeza de que o mundo do cinema não vai parar de nos surpreender e avançar tecnicamente. Por enquanto, só nos resta aguardar ansiosamente o lançamento de “O Rei Leão” para conferir o resultado dessa mais nova tecnologia.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

um × três =