A empresa inglesa McLaren Applied Technologies, MCA, já estuda formas radicais de transformar o universo da Fórmula 1. O objetivo é que até 2050 a alta tecnologia tome conta das pistas de corrida. A equipe afirma que os carros de corrida possuirão recursos aerodinâmicos, como abas laterais retráteis, além de se recolher em velocidades altas que possam alcançar 500 km/h.  Já o downforce ficará a cargo de difusores e não de aerofólios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

17 + cinco =