Publicidade

Por Rebekah Marques

Uma pesquisa realizada pelo Autoesporte aponta que o automóvel pode sofrer uma depreciação de 7% a 23% no valor em apenas um ano de uso. “E isso acontece devido a questões de troca de pintura ou problemas mecânicos”, é como explica o especialista em carros e CEO da Carflix, Fabio Pinto. O especialista listou os principais motivos que depreciam o valor do carro na hora da venda. Confira!

Quilometragem alta

O aumento da quilometragem com o passar dos anos é algo inevitável, mas é algo que interfere na revenda do veículo. Para que o carro não sofra muita depreciação, o ideal é tentar diminuir o tempo que permanece com o automóvel e vendê-lo com no máximo cinco anos de uso.

Batidas e arranhões

Cuidados na hora da revenda

Outro fator que influencia no valor do veículo é a quantidade de batidas e arranhões que a lataria possui. Se o proprietário tem planos de vender o seu carro usado, é fundamental que seja cuidadoso com o automóvel.

Partes mecânica e estrutural

É comum o preço do automóvel sofrer depreciação pelas más condições de peças como mangueira, pastilhas e discos de freio. O funcionamento incorreto de outras partes do automóvel também diminuirá o valor do carro, tais como break light, lanterna, ar-condicionado e vidros elétricos.

Troca de pintura

Um dos erros que mais desvalorizam um automóvel na hora da revenda é realizar a troca da cor do carro. “Por mais que o veículo possa ficar mais bonito na opinião do dono, o que o mercado mais valoriza na negociação de um automóvel são os itens originais conservados”, lembra Fabio.

Multas ou documentação atrasada

Outro erro bastante comum é o dono do veículo não se atentar às multas ou estar com documentações atrasadas. Essas pendências graves diminuem o valor do automóvel, por isso, é fundamental manter os compromissos em dia se não quiser perder dinheiro ao vendê-lo.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

três × 3 =