@estevampelomundo

Por Lucas Estevam     

Um país lindo, mas super esquecido pelo mundo e praticamente ignorado quando o assunto é viajar pela Europa. Eu só me lembro de Minsk, pois jogava muito War com meu pai e amigos, além de, claro, ter assistido ao seriado Friends (o namorado da Phoebe era de lá). E pelo fato de nunca ouvir alguém falar sobre lá, resolvi ver com meus próprios olhos.

 

História de Minsk

Minsk

A cidade tem quase mil anos e é a capital de Belarus, a Antiga Bielorrússia, com dois milhões de habitantes, concentrando cerca de 20% de toda a população do país! A república foi declarada em 1918, mas logo depois virou URSS e apenas em 1991 ficou independente. Belarus é conhecido como a “última ditadura da Europa”, afinal, o presidente Lukashenko está na presidência desde 1994 e faz o que quer: persegue a imprensa e oposição, frauda pesquisas, cria leis que lhe favoreça e etc.

 

Segunda Guerra Mundial

Minsk
biblioteca nacional

O país já sofreu várias invasões e foi quase todo destruído na Segunda Guerra Mundial (afinal, morar entre Rússia, Polônia e Alemanha, pode não ser o bairro mais tranquilo do mundo, né?). Aliás, eles chamam a Segunda Guerra Mundial de “Grande Guerra Patriótica”. Para eles, a guerra foi entre a Alemanha e a URSS. Visões diferentes de mundo. Pelo menos bem diferente do que ouvi falar.

 

Minsk
Avenida da Independência


Vistos e Seguro Viagem

Há cerca de dois anos, Belarus liberou o visto para Brasileiros e outros 80 países, visando estimular o turismo. Brasileiros ficam até 90 dias tranquilos no país. Já o seguro viagem é obrigado e pediram para ver o meu que estava salvo no celular.

 

 

Minsk
Estátua de Lênin

Quanto tempo ficar

Sugiro duas noites em Minsk e um dia todo em Brest (cidade ao oeste do país com uma fortaleza incrível).

 

 

 

 

 

 

O que fazer

Igreja Vermelha

Sugiro que comece na Praça da Independência, onde bem no estilo stanilista monumental, as construções saúdam os visitantes. Tudo aqui é bem marcado por estátuas grandes, linhas retas, concreto e muito espaço. Este estilo é muito presente até você chegar à Praça da Vitória (que comemora a vitória deles na segunda Guerra mundial). Após a praça da vitória, você vai ver várias construções soviéticas no melhor estilo Guerra fria. Capital do Belarus Algo que explica muito os blocos residenciais em série, era uma tentativa de abrigar tudo e todos no pós-guerra. Eles ganharam, mas ficaram quebrados e essas casas quadradas com várias janelinhas eram o suficiente para abrigar todo mundo. E pode caminhar tranquilo! Me sinto mais seguro aqui do que em cidades como Barcelona e Paris, com muitos ciganos que querem amarrar fitas em seu braço ou bater sua carteira.

  • Avenida da Independência (20km de comprimento)
  • Praça da Independência (ali estão: Universidade, metrô, Casa de Cultura e a estátua de Lênin).
  • Em 1924 surgiu a igreja neorromânica de São Simão e Helena (conhecida como Igreja Vermelha).
  • Entrar no central post office: os Correios daqui tem uma arquitetura linda;
  • O cara que matou John Kennedy morou em Minsk! Lee Harvey Oswald viveu, entre 1959 e de 1962, no edifício 4 da Vul Kamyunistuchnaya, perto do Gorki Park.
  • Biblioteca Nacional de Belarus. Linda demais, mas tem que ser membro para usar a biblioteca. Olhe os horários. Tem um roof top para ver a vista.
  • Kamarousky Market (mercado bem soviético). Vale comer algo por lá.
  • Museu da Grande Guerra Patriota.
  • Vá ao Rio Svislach que corta a cidade (como toda cidade europeia) e se perca no Trouetskaye Pradmestrie (Trinity Hill).
  • Visite a Grand Opera Bolshoi (abriu em 1939 em Minsk).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

17 + cinco =