Em meio aos jogos modernos cheios de personagens em 3D ou com referências estrangeiras, a Disal celebra o Dia do Folclore, 22 de agosto, convidando os leitores a um verdadeiro resgate às raízes de figuras genuinamente brasileiras. Você já ouviu falar da Cuca? E do menino travesso, que apronta todas em uma perna só e se chama Saci? Esses e outros personagens fizeram parte da infância de muita gente. Agora, eles também fazem parte de uma campanha especial de incentivo à leitura.

Talvez as figuras sejam mais conhecidas do que a própria história, mas o folclore brasileiro é o conjunto de realizações que fazem parte da cultura popular. O conceito é amplo e também abraça contos, lendas, canções, ritmos, músicas, festas populares, entre outros elementos.

Para entender onde a celebração do dia 22 começou é preciso voltar para o século XlX, quando os estudos sobre o assunto começaram. A pesquisa significou muito mais do que a reunião de documentos, mas o símbolo da cultura nacional sendo valorizada.

Veja alguns exemplos na seleção abaixo:

Curupira – O guardião da floresta – Marlene Crespo

Folclore 1
Imagem: Divulgação

O Curupira não é flor que se cheire. Os caçadores que o digam. Neste livro, a autora busca contar como o guardião da floresta usa seus poderes mágicos impiedosamente contra aqueles que não respeitam a mata e os seres que a habitam, protegendo a vida e lutando pela conservação do ambiente.

Saiba mais.

 

Histórias da vó Betica – A lenda da Vitória–Régia  – Blandina Franco

Folclore 2
Imagem: Divulgação

Estrela de televisão, estrela-do-mar, estrela do céu, a menina ainda não sabe. Mas a Vó Betica não ficou preocupada, pois já tinha uma história preparada. Resolveu contar a de uma índia que queria ser estrela do céu, só que acabou mesmo é virando planta. Será que a menina ainda vai querer ser estrela depois de ouvir essa história?

Saiba mais.

 

O Saci  – Monteiro Lobato

Imagem: Divulgação

O Saci foi um marco na literatura infanto-juvenil brasileira. Foi por meio das histórias da figura enigmática de um duendezinho de uma perna só, o Saci, que Monteiro Lobato conseguiu a façanha de captar o imaginário da infância brasileira assim como já havia sido feito com contos de tantas outras culturas. Fadas, princesas e ogros são bem-vindos ao universo infantil assim como são os seres do folclore brasileiro e as aventuras no Sítio do Pica-Pau Amarelo, onde as crianças podem se identificar com sua própria cultura e pensar o mundo com respeito à natureza e a seus seres.

Saiba mais.

 

Contos folclóricos brasileiros – Marco Haurélio

Imagem: Divulgação

Os contos folclóricos reunidos nesta coletânea, mas do que o esforço de preservação das nossas tradições populares, são peças de raro brilho literário, fruto da beleza e simplicidade da tradição popular, “o alimento espiritual dos povos”. Muitos contos são como ressonâncias da ligação das nossas raízes culturais com outros povos e culturas. O conto folclórico conserva informações de hábitos, costumes, ritos e mitos aparentemente desaparecidos ou esquecidos, mas que persistem na transmissão de geração a geração.

Saiba mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui