A decisão de adotar um novo pet, como um gato ou cachorro, sempre envolve muitos dilemas, e nem sempre é uma tarefa fácil. O ideal é balancear todos os prós e contras, pensando principalmente no bichinho, que precisa de muitos cuidados e carinho. MID®, a marca de refrescos em pó da Ajinomoto do Brasil, que contribui com ações em defesa dos animais, aproveita o Dia Nacional de Adotar um Animal, celebrado em 4 de outubro, para dar algumas dicas importantes sobre o tema.

Em 2015, a marca MID® e a ONG AMPARA Animal se uniram com o objetivo de dividir histórias e auxiliar nos cuidados de animais abandonados. Parte das vendas dos refrescos Baunilha com Limão, Groselha e Guaraná, são revertidas para a ONG, que apoia projetos focados em animais domésticos e em animais silvestres ameaçados de extinção. Com o apoio da marca, a instituição organiza feiras de adoção e campanhas para arrecadação de mantimentos. Com o início da pandemia de Covid-19 e o aumento do número de casos de abandono de animais, a marca, em parceria com a ONG, desenvolveu um guia com orientações de como ajudar animais desabrigados durante esse período.

MID® acredita que o bom é dividir momentos de alegria com a família e amigos, incluindo nossos animais de estimação. Por isso, parte das vendas de três sabores da linha é revertida especialmente à AMPARA Animal”, afirma a gerente da marca, Thais Bellinassi.

“A parceria com MID® é fundamental para que possamos continuar o nosso trabalho. Iniciativas como esta nos permitem viabilizar grandes projetos para proteger aqueles que mais precisam de nós, os animais carentes”, explica a presidente da AMPARA Animal, Juliana Camargo.

Confira abaixo 5 dicas para adotar um pet de forma responsável:

  • Avalie a sua rotina

Pense na sua rotina, você tem como se dedicar a cuidar do seu amigo? Atenção e carinho são fundamentais para que ele se sinta acolhido. É importante planejar como será o dia a dia com momentos de interação e passeios com seu pet, principalmente se optar por um cachorro e morar em apartamento. Além disso, com o início da pandemia de Covid-19, muitas ONGs apresentaram um aumento considerável na procura de pets para adoção, principalmente como forma de ganhar uma companhia durante o período de isolamento. Apesar dos índices favoráveis, muitos especialistas temem pelo abandono de animais depois que a rotina de trabalho e compromissos voltar ao normal.

  • Participação mútua

Em ambientes de família ou espaços compartilhados com outras pessoas, todos, sem exceção, precisam concordar com a presença de um peludo em casa. Adotar é um ato de amor e uma grande responsabilidade, por isso, é essencial dividir as tarefas diárias, como passeios, alimentação, horários de diversão e a limpeza das necessidades. Também é muito importante lembrar dos custos atrelados à adoção do pet, desde a compra de ração até consultas e vacinação frequente em clínicas veterinárias.

  • Ambiente adequado

Gatinho ou cachorro? Muitos já têm sua preferência, porém, mais importante que um gosto pessoal, é necessário avaliar se o seu lar oferece o ambiente ideal de convivência para o pet. Os felinos costumam se adaptar com mais facilidade a apartamentos, enquanto alguns cachorros de porte grande precisam de mais espaço para se exercitar. Passeios diários evitam estresse e qualidade de vida para seu melhor amigo. E tudo dependerá também da personalidade de cada um – os animais também possuem comportamentos únicos, sendo alguns mais ativos e outros mais sossegados.

  • Adaptação da casa

Antes de adotar um novo companheiro, o ideal é que você prepare o lar com a proteção necessária e itens básicos de alimentação para cada um. No caso de gatos, as telas e redes de proteção são indispensáveis para quem mora em casa ou apartamentos. Além de garantir a segurança, essa medida também evita fugas perigosas. Com os cachorros, é essencial preparar um cantinho especial, onde ele possa se sentir seguro e confortável. É importante se atentar também às rotas de fuga dos portões.

  • Segundo filho

Para quem já tem um gato ou cachorro e está pensando em adotar outro, muitos pontos devem ser levados em consideração. Se tiver um gato adulto, ele pode se adaptar com mais facilidade com outro filhote. Mas é natural que essa adaptação demore em média 15 dias, então paciência é fundamental para ajudar no processo. No caso de dois cães, é necessário avaliar se o perfil do primeiro socializa facilmente com outros – isso pode ser percebido durante passeios, por exemplo. E a apresentação dos dois nunca deve ser feita dentro de casa, e sim em lugar neutro onde o cão não tenha o ímpeto de mostrar dominância e territorialismo. Para a adaptação de gatos e cachorros, é importante procurar a orientação de um especialista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui