A rotina de um pet requer cuidados e, diante dos novos hábitos que surgiram junto com o isolamento social, dar banho no pet em casa passou a ser a realidade de muitos tutores. A Campinas Cafe conversou com a médica veterinária, Tainah Julie Ortiz, que listou dicas para não causar problemas à saúde do animal.

Banho no pet
Tainah Julie Ortiz

Frequência

De acordo com Tainah, para os cães, o banho é indicado semanal ou quinzenalmente, a depender do hábito de cada animal. Já os gatos, o recomendado é entre uma a duas vezes ao mês. “Não é indicado banhos para os animais que não tem o hábito desde filhote, pois o gato fica muito estressado com esse tipo de manipulação”, explica.

Produtos

Apostar em produtos humanos sem consultar um veterinário pode colocar a saúde do pet em risco. “Dentre os produtos veterinários, os melhores são aqueles que contém ativos para a ação desejada, sem que haja prejuízos à pele do animal, de origem vegetal e livres de parabeno”. Hoje, existem produtos de prevenção com bases, essências e ativos orais e tópicos desenvolvidos especialmente para atuar no organismo dos animais sem agredi-los e hidratantes, como a linha High Pet Biotec, desenvolvida pela Biotec Dermocosméticos.

Temperatura da água

O ideal, de acordo com a veterinária, é dar banho sempre em temperatura morna, já que a pele do animal é mais sensível. “Temperaturas mais elevadas podem irritar a pele do animal. Já água muito fria pode causar hipotermia”, lembra.

Secagem

Segundo Tainah, é importante secar o animal com a toalha para tirar o excesso e, depois, usar o secador. “Alguns animais que se estressam facilmente com o uso do secador. Neste caso, é melhor fazer o uso da toalha, secar bem e se possível, dar banho apenas durante o dia”, recomenda. Além disso, vale lembrar que a temperatura do secador deve ser fria à morna e é importante mantê-lo a uma distância de 25 centímetros.

Unhas

Esse é um cuidado a parte, já que os cães possuem veias e nervos nas unhas. “Para a segurança maior do pet e do tutor, recomendamos que sejam cortadas no petshop (centro de estética) ou na clínica veterinária, pois há risco de cortar em excesso e causar sangramento”.

Olhos e orelhas

A região da face pode ser lavada normalmente, apenas com atenção ao contato direto do shampoo ou condicionador com os olhos. “A anatomia de cães e gatos favorece a entrada de água, por isso o ideal é proteger as orelhas do animal com um pequeno pedaço de algodão, colocando dentro do ouvido. Deve-se tomar cuidado para não aprofundar muito o algodão, e retira-lo antes da secagem”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui