A peça teatral no estilo comédia besteirol, “O Mistério de Irma Vap”, será apresentada em Campinas, no Teatro Oficina do Estudante no Shopping Iguatemi nos dias 12 e 13 de março – sábado, 21h e domingo, 18h. Os protagonistas são os atores Luis Miranda e Mateus Solano nesta montagem adaptada e dirigida pelo encenador Jorge Farjalla a partir do texto de Charles Ludlam.

Os ingressos custam R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia) na plateia e R$ 150,00 (inteira) e R$ 75,00 (meia) na plateia Premium. Os ingressos estão à venda no site www.ingressodigital.com e na bilheteria no Teatro. Informações pelo telefone (19) 3294-3166.

Cartaz da peça – Foto: Divulgação

Sobre a peça

A trama original se passa em um lugar remoto da Inglaterra e conta a história de Lady Enid, a nova esposa do excêntrico Lord Edgar. Ela tem que se adaptar a viver em uma mansão mal-assombrada pelo fantasma da primeira esposa de seu marido, Irma Vap, um lugar onde o filho do casal foi morto por um lobisomem. Na casa, há uma governanta que assume a posição de rival da recém-chegada. Para retomar o amor de seu marido, Lady Enid come o pão que o diabo amassou e pratica peripécias divertidas. Em cena, os dois atores interpretam os vários personagens, entre humanos e assombrações.

O texto foi montado pela primeira vez em 1984 em um pequeno teatro em Greenwich Village, em Nova York, nos Estados Unidos, pela companhia Ridiculous Theatrical Company, do próprio Charles Ludlam. Ele fez uma paródia dos clássicos e inspirou-se em um gênero da Inglaterra Vitoriana chamado “penny dreadful” (que pode ser traduzido como terror a tostão) para criar um novo tipo de comédia, o melodrama vitoriano. Diferente da história original, a versão é situada em um trem fantasma de um parque de diversões macabro.

“Usamos como referência os filmes de terror, como “Pague para Entrar, Reze para Sair”, de Tobe Hooper; “Rebecca”, de Alfred Hitchcock, e a estética dos anos 80. Mergulhamos também no universo do videoclipe de “Thriller”, de Michael Jackson, que foi dirigido pelo cineasta John Landis, uma referência do que é um filme de horror. Além disso, a obra também tem várias citações de Shakespeare, principalmente de Hamlet. Desfragmentamos todas as camadas do texto para ver o que estava por trás dele e ressignificar a obra”, conta o diretor e encenador Jorge Farjalla.

Elementos cênicos

O cenário de Marco Lima é um trem fantasma, com o carrinho utilizado de forma manual, artesanal e mecânica. Tudo construído com madeira, ferro e materiais simples. As luzes do cenário piscam e as portas abrem e fecham. Na montagem, os quatro atores “vodus contrarregras” fazem a movimentação do cenário. Todo o palco está aberto, mostrando a caixa cênica, sem bambolinas, sem rotundas, revelando o maquinário do teatro e não escondendo nada. “O cenário foi inspirado no filme de terror dos anos 80, “Pague para Entrar, Reze para Sair”. É todo teatralizado”, detalha Marco Lima.

Prêmios

O espetáculo concorreu com o Prêmio Shell em três categorias, vencendo a de melhor ator; do Prêmio do Humor 2020 em duas categorias e do Prêmio Guia da Folha como Melhor Espetáculo de 2019. No Prêmio Bibi Ferreira, ganhou cinco categorias, além de ter sido finalista de três categorias do Prêmio Aplauso Brasil e de oito categorias no Prêmio Cenyn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui