Publicidade

Por Gaziela Caproni

Nutricionista e apresentadora no quadro “Sobre Perguntas e Respostas” (programa Pop Station Band).
www.ciclonovo.com.br
@grazicaproni

O sódio é um mineral naturalmente encontrado na natureza e nos alimentos, que unido a outro elemento, o cloro, forma o cloreto de sódio, ou o popular sal de cozinha. É um mineral que participa de funções vitais para o bom funcionamento do organismo, pois regula o volume sanguíneo, tem papel importante nos impulsos nervosos e na contração muscular, ou seja, é importante consumi-lo todos os dias. Mas, você sabe quando o sal se torna um malefício?

Quando o sal é um problema?

Quando os níveis de sódio ficam altos no sangue, hormônios são liberados e estes causam retenção hídrica e inchaço. O excesso de líquidos circulando no corpo pode sobrecarregar o coração e desencadear a hipertensão, um infarto e até um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Diferente do que se imagina, o sódio não está presente apenas em alimentos salgados, mas também nos doces e nos produtos industrializados e processados, como enlatados, conservas, pães, bacon, frios, refrigerantes, salgadinhos, pratos congelados, massas instantâneas, sopas em pó, caldos em cubos e condimentos como molho de soja/shoyu.

sal

Atitude e mudança

Deixar de lado o hábito de ter o saleiro sempre à mesa e começar a substituir o sal por temperos naturais, como cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, hortelã, limão, manjericão, coentro, cominho, entre outros é uma boa atitude. Lembre-se: o paladar vai se acostumando gradativamente com menos sal na alimentação, vá diminuindo até acostumar.

Escolha com sabedoria!

Conhecer cada uma das possibilidades de uso, suas vantagens e a quantidade ideal faz a diferença. Por isso, destacamos alguns mais usados na gastronomia.
Flor do Sal: pequenos cristais que se formam na superfície das águas de cristalização das salinas. Sua retirada é uma colheita artesanal em que se retira uma finíssima película. Depois de secos, os cristais são crocantes e sem qualquer tipo de processamento ou adição de produtos químicos.

sal

Sal Marinho: considerado uma alternativa mais saudável que o sal refinado. O sal marinho é obtido pela evaporação da água do mar e seu conteúdo mineral lhe dá um sabor diferente do sal de mesa, que é obtido a partir de rochas.

Sal Light: o produto tem 50% do cloreto de sódio substituído por cloreto de potássio. Perfeito para quem precisa diminuir a ingestão de sódio. Vale ressaltar que deve ser evitado por pessoas com problemas renais, pois estas necessitam de uma ingestão de potássio regulada.

Sal Negro: conhecido como Kala Namak, é obtido em reservas naturais da região central da Índia. O seu sabor é incomum e, para muitos, lembra o de gema de ovo. Sua textura é crocante e muito solúvel, é ideal para uso em molhos, saladas e massas.

Sal Rosa dos Himalaias: extraído das cordilheiras, e as reservas do sal rosa também estão localizadas no Peru (Vale Sagrado dos Incas) onde existia um oceano há mais de dois mil anos. A água salobra brota do subsolo em pequenas poças e, com a evaporação, dá origem aos cristais de tom rosado.

Sal Negro do Havai: é um sal vulcânico que na verdade pode ser vermelho ou negro. A cor negra vem da mistura com o carvão. É rico em minerais e tem um sabor menos salgado. Bom para usar com frutos do mar e ceviche.
Sal Defumado: é defumado lentamente até que os cristais de sal absorvam profundamente a fumaça, que dever ser de madeiras especiais. Perfeito para finalizar carnes e legumes.

Sal Cinzento ou Sel Gris: é um sal marinho natural de Guerande, na França. Não é processado nem refinado, sendo um dos preferidos dos Chefs por destacar os sabores dos alimentos.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

vinte − 1 =