A primeira pergunta que se faz ao fim do julgamento do ex-casal Johnny Depp e Amber Heard é: quem foi vencedor e o derrotado na batalha judicial que mobilizou a mídia americana e de boa parte do mundo nos últimos meses?

As duas interpretações são possíveis, a jurídica e a de reputação. Iniciando pela análise jurídica, nenhuma das partes envolvidas obteve o que pretendia inicialmente. Depp pedia indenização de U$ 50 milhões por conta de um artigo escrito pela ex-companheira para o jornal Washington Post, em que ela falava sobre relacionamento abusivo.

Amber, por sua vez, pleiteava indenização de U$ 100 milhões por ter sofrido violência doméstica, de ordem física e psicológica. Ao final do processo, condenou-se Amber Heard a pagar U$ 15 milhões a Johnny Depp, em um resultado que não parece satisfatório a nenhuma das partes e, certamente, soa mais prejudicial para a ex-mulher.

De acordo com Francisco Gomes Junior, presidente da ADDP (Associação de Defesa de Dados Pessoais), a briga judicial foi um contrassenso no mundo atual em que todos visam preservar sua privacidade e intimidade. “Ao longo de meses, o ex-casal expôs-se mutuamente, revelando detalhes íntimos que ferem a reputação um do outro. Amber revelou que Depp a agredia com frequência, inclusive impondo violência sexual a ela. Depp, por sua vez, acusou Amber de difamação e danos a sua imagem que o levou a perder trabalhos importantes, como o seu papel no próximo filme da franquia Piratas do Caribe. E ambos saíram expostos como um casal que consumia drogas e promovia festas que descambavam para orgias. Em resumo, expuseram a intimidade e tiveram a imagem prejudicada”.

De fato, as redes sociais dividiram-se nos últimos meses, com posições favoráveis a Depp ou a Amber. Cada uma das acusações repercutiu mundo afora e pode-se concluir que ambos perderam em relação à sua imagem. Fixou-se na mente das pessoas que Depp deve ter sido agressivo muitas vezes e pode ter conduzido um relacionamento abusivo. E também se gravou que Amber possivelmente cometia abusos domésticos e que liderou uma campanha para prejudicar a carreira do ex-marido. A imagem de ambos sai arranhada do julgamento.

Ao fim do longo julgamento o júri de Fairfax, no Estado da Virginia, dos Estados Unidos, deu seu veredito e a Juíza Penney Azcarate determinou U$ 15 milhões de indenização a favor de Depp. No entanto, uma das acusações contra o ator também foi julgada procedente, o que o obrigará a pagar U$ 2 milhões de indenização para Amber por difamação.

“Tecnicamente, o júri entendeu que as acusações de abusividade feitas por Amber não foram comprovadas e que ela deve indenizar Depp por danos compensatórios (a perda de trabalho que ele teve) e danos punitivos (uma sanção pelas falsas acusações). Já Depp, deverá pagar U$ 2 milhões por ter difamado Heard, sob a falsa acusação de que ela teria enganado policiais. Não me parece que o caso tenha um vencedor absoluto, tenho a impressão que ambos devem ter percebido que armaram uma arapuca para si mesmos”, conclui o advogado.

Embora em menor escala, o julgamento ainda provoca reações apaixonadas com acusações de que o júri teria sido misógino e contrário aos interesses da atriz por ter sido formado por 5 homens e apenas 2 mulheres. Ao que tudo indica, o julgamento não encerrará a polêmica.

Fonte: Francisco Gomes Júnior – Sócio da OGF Advogados. Presidente da Associação de Defesa de Dados Pessoais e do Consumidor (ADDP). Autor do livro Justiça Sem Limites. Instagram

Para mais notícias, fique por dentro do nosso site

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui