O projeto MONUEM-ERESP, inspirado no conceito desenvolvido pela Universidade de Harvard e idealizado pelo Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo (ERESP), está expandindo as atividades para sete escolas municipais este ano depois do sucesso durante o segundo semestre de 2020. A realização do projeto fica por conta do Instituto Global Attitude.

Cópia de Taquaral 0504

Reinventando-se diante das questões impostas pela pandemia, a coordenação da edição deste ano preferiu manter as atividades online para preservar a saúde dos estudantes, professores e familiares. As aulas começaram no dia 03 de maio.

Este ano, o programa conta com o apoio de três novos consulados: o finlandês, o italiano e o suíço. Os alunos terão a oportunidade de conhecer aspectos culturais e sociais desses e de outros países durante os seis meses de projeto. Além dos consulados, também apoiam a iniciativa o escritório Pinheiro Neto Advogados e a vereadora Janaína Lima.

Espera-se que cerca de 200 estudantes da rede pública da cidade de São Paulo sejam inscritos no projeto. Participam as seguintes escolas: EMEFM Oswaldo Aranha Bandeira de Mello, EMEFM Antônio Alves Veríssimo, EMEFM Darcy Ribeiro, EMEFM Derville Allegretti, EMEFM Guiomar Cabral, EMEBS Helen Keller (que oferece educação bilíngue para surdos) e EMEFM Prof Linneu Prestes. Nesta edição, cada escola tem uma página personalizada para inscrição dos alunos.

Como funciona?

Com o objetivo de simular modelo das Nações Unidas para o Ensino Médio (MONUEM-ERESP)  em escolas públicas, o projeto possui uma pedagogia voltada  a ampliar os conhecimentos dos estudantes sobre relações internacionais, com conteúdos direcionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, além de desenvolver, de maneira prática, habilidades como pesquisa, argumentação, solução de conflitos, empatia, cooperação, entre outras. Os estudantes também escolhem um país para aprender seus interesses e, ao final, há uma simulação onde eles, como delegados desse país, defendem sua importância em um fórum da ONU, conjuntamente a outras escolas.

Em 2019, o projeto teve 14 aulas presenciais nas dependências da EMEFM Oswaldo Aranha Bandeira de Mello, com abertura e  evento de encerramento (culminância) no CEU Água Azul. Em 2020, deu-se início a modalidade EAD por conta da crise sanitária causada pelo novo coronavírus, com todas as atividades sendo realizadas via Google Meet. Mesmo com o avanço da pandemia de COVID-19 no país este ano, o projeto está conseguindo se reinventar e proporcionar aos  alunos aulas dinâmicas, atrativas e com sessões de debates em ambiente virtual. Neste momento, um dos principais objetivos é poder acolher estudantes com grande vulnerabilidade social e proporcionar uma educação de qualidade para todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui