Publicidade

Por Graziela Caproni                                         

mindful eating
             @grazicaproni

Esqueceu de almoçar? Lanchou rapidamente na frente do computador? Comeu em pé? Devorou toda a caixa de bombons sem mesmo perceber? Você se beneficiaria muito mais se fosse realmente consciente ao comer. “Alimentação consciente”, tradução de Mindful Eating, é um conceito derivado da prática budista batizada de Mindfulness, que significa “estar presente” no momento da refeição. Já ouviu falar? É um convite para nutrir e “temperar” também os nossos sentidos!

São técnicas baseadas na maior percepção do momento, que você pode aplicar em várias áreas da sua vida, inclusive na alimentação. O significado disso é: estar focado na situação presente, no que você se propõe, sem julgamentos e sem distrações que tirem o foco da sua atividade. Serve para que possamos perceber as cores presentes em nossa comida, o cheiro e o sabor dos alimentos, além de notar a quantidade e a qualidade da refeição que colocamos no prato, se concentrando nas suas sensações e ritmos biológicos, como respiração e batimentos cardíacos, assim como nas suas vontades e desejos.

Para isso, é preciso diminuir ao máximo, sempre que possível, as tantas interferências externas, de repente comer sem assistir televisão, sem ter o computador ou celular por perto. Para que o alimento seja saboreado mastigando mais lentamente e, então, podermos escutar a conversa do nosso corpo com a gente, por exemplo, percebendo os sinais de saciedade e fome.  Desafiador nos dias de hoje, não? Mas sim, é possível, pode acreditar. São práticas simples, para onde estiver e ao alcance de todos. Não precisa virar monge budista para conseguir!!

Os benefícios são vários, desde melhor digestão e consequentemente, maior absorção dos nutrientes, como emagrecimento sustentável e diminuição da impulsividade ao comer – aquela que nos faz devorar o alimento em segundos, engolir pedaços grandes como se não tivéssemos dente para mastigar ou como se o mundo fosse terminar amanhã! Pois bem, quem nunca, né?! Vez ou outra pode até acontecer, o que não vale é essa exceção virar regra… e quando percebe você está o tempo todo “brigando” com a comida, transformando um momento que deveria ser prazeroso numa verdadeira tensão.

A ciência mostra que as nossas rotinas e atitudes na hora de comer são importantes para o nosso metabolismo. Hoje em dia, muitos de nós perdemos a rotina e também a saúde.

Respirar devagar e silenciosamente, puxando o ar de forma mais profunda, pode tornar a refeição muito mais agradável. Trás sua atenção para o momento presente, tornando suas escolhas e ações mais conscientes e menos compulsivas. Aqui, alguns passos simples para praticar o “Comer Consciente”:

Respire fundo várias vezes para voltar ao momento

Pergunte-se: estou vivendo o momento ou pensando em outra coisa? É interessante sentir que uma respiração profunda ajuda a diminuir o estresse interno e até o ritmo do coração. Você percebe o quanto isso acalma a sua mente acelerada e coloca você no presente. Quando puder, compartilhe a experiência com alguém para tornar o momento mais gostoso.

 Respeite seu corpo e sua fome

Pergunte-se: o que estou sentindo? Como está minha fome? Respeite sua fome e saciedade, escute o seu corpo e responda às sensações que ele manda. Isso é uma coisa tão simples para o recém-nascido por exemplo, mas pode parecer tão difícil para nós, especialmente para quem tem um histórico de muitas dietas e restrições. Muitas vezes, não se sabe mais se o que se sente é fome ou ansiedade, ou até mesmo cansaço ou sede. Por isso, voltar a conversar com o próprio corpo é fundamental. Está perdido? Respeite as refeições principais: café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. Ou respeite sua fome física, aquela que faz o estômago “roncar”. Não acumule a fome ao longo do dia, esperando aquela de leão chegar!

Saboreie sem culpa: procure mais satisfação e atenção ao invés de tensão

Pergunte-se: estou saboreando sem culpa? Saborear é diferente de devorar. Pense menos e sinta mais! Coma sem culpas e regras tão rígidas. Comer com culpa faz comer mais. Saiba que o sinal de satisfação tem um tempo para chegar ao nosso cérebro, então tente dedicar pelo menos 20 minutos para a sua refeição. Foque em nutrir bem seu corpo, é o único que você tem! Ter o que comer é uma bênção e o alimento deve ser saboreado e apreciado. Faça as pazes com a comida! Ela é sua aliada e não sua inimiga.

Coma melhor e não necessariamente menos! Comer melhor é comer com mais consciência. Comer é inerente a nós, seres humanos, e vai muito além de ser somente uma questão de repor nutrientes ou de compensar frustrações. Que tal fazer uma experiência de comer atentamente e sem julgamentos? Você pode escolher justamente um alimento que você já sabe que come com culpa ou em excesso e observá-lo melhor em todos os aspectos. Você pode se surpreender com os resultados!

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

treze + 6 =