Madga Tagtachian faz parte da terceira geração de armênios na Argentina. A escritora e jornalista empresta a descendência para Alma, protagonista de Alma armênia.Reconhecida internacionalmente pelo trabalho de valorização da história do povo armênio, Magda reflete na obra publicada pela VR Editora as experiências pessoais sobre a cultura.

Depois de se apaixonar pelo filho do editor-chefe do jornal que trabalha, um homem casado, Alma decide viajar ao Oriente Médio para se reconectar com suas raízes e se desvincular deste amor proibido. É neste movimento ousado que encontra muito mais do que imagina: conflitos internos e externos com uma infinitude de possibilidades.

Além da descendência armênia, há outros detalhes que aproximam a escritora da protagonista. Madga trabalhou por 20 anos no jornal argentino Clarín, assim como Alma, que antes da viagem atuou por 18 anos no Boston Times. A desconexão com o emprego foi outro motivo que impulsionou a personagem a abandonar o país e mergulhar nas suas origens.

Imagem: Divulgação

Ao longo das páginas, a história faz paralelos dos acontecimentos com movimentos de xadrez, jogo muito popular na Armênia que Alma aprendeu com o seu avô. Conflitos políticos contornam a narrativa e enriquecem a produção com a realidade histórica do Oriente Médio.

Amor, autoconhecimento, história e cultura envolvem as 464 páginas de Alma Armênia, leitura que empolga fãs de “O Gambito da Rainha” pelo envolvimento do jogo e que conquista leitores de Julia Quinn pelo cunho histórico. Como num tabuleiro de xadrez, o amor faz sua jogada e quem comanda esta partida é Madga Tagtachian.

 

FICHA TÉCNICA

Título: Alma armênia
Autora: Magda Tagtachian
Tradução: Mariana Marcoantonio
Editora: VR Editora
ISBN: 978-65-86070-42-2
Páginas: 464 páginas
Formato: 16 x 23 cm
Preço:  R$59,42
Link de venda

SinopseAlma é uma mulher em sua maturidade. Descendente de armênios que migraram para a América, cresceu rodeada das histórias e da culinária de sua terra. Por meio dos relatos de seus avós, também aprendeu sobre a luta do povo armênio, numa guerra que parece nunca ter fim. Em seu trabalho como jornalista do Boston Times, Alma conhece Lucciano, fotógrafo com quem viaja para cobrir uma pauta do jornal. Nesta viagem surge uma conexão especial entre os dois e, com o passar dos anos, fica cada vez mais evidente o magnetismo irresistível que os envolve. Há, no entanto, um problema: Lucciano, além de filho do editor-chefe de Alma, é casado. Para completar, depois de 18 anos trabalhando no jornal, Alma não se identifica mais com o lugar e precisa finalizar este ciclo. Em meio às turbulências da paixão e da necessidade de mudança, ela decide viajar ao Oriente Médio para se reconectar com suas raízes. Nessa jogada perspicaz, ela encontrará muito mais do que imagina: conflitos internos e externos com uma infinitude de possibilidades.

Sobre a autora: Magda Tagtachian faz parte da terceira geração de armênios na Argentina. Escritora e jornalista, trabalhou em revistas e, por vinte anos, no jornal argentino Clarín. Publicou seu primeiro livro em 2016, Nomeolvides Armenuhi, em que narra o genocídio armênio por meio da história de sua avó. No mesmo ano, fez sua primeira viagem à Armênia. Em 2018 recebeu, do Conselho Nacional Armênio na América do Sul, a distinção Hrant Dink – um reconhecimento de seu trabalho em prol dos direitos humanos. Romântica, sonhadora e pisciana, crê na intuição e no amor à primeira vista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui