Publicidade

Independente da época do ano em que você consiga tirar férias, é sempre bom levar na mala um bom livro, que pode fazer toda a diferença nos momentos de espera no aeroporto ou até mesmo para ajudar a passar o tempo no voo. Ou então, simplesmente para aquele momento para relaxar na pousada. Pensando nisso, pedimos indicações de bons títulos para quem ama viajar em boa companhia.

“Cem Verões”, de Beatriz Williams (Editora Rocco, R$ 39,50)

“A autora nos leva a uma viagem pelos anos de 1930, nos Estados Unidos, onde se desenrola uma trama envolvendo amor, amizade, preconceitos e relações familiares”.

Cinthia Lagranha, coordenadora de Marketing do Galleria Shopping

Leitura para as férias

 Pastoral Americana”, de Philip Roth (Companhia de Bolso – R$ 39,90)

“Era dos únicos livros que não havia lido do autor, que faleceu recentemente. Fiquei encantado com a narrativa e com temas de conflagração social vividos na atualidade. Uma obra que prende a atenção e nos leva a querer desvendar o enredo. Uma história com traços atuais envolvendo pessoas deslocadas de seus mundos e da moral recorrente, surpreendidas pelas mudanças entre épocas e esmagadas na tarefa de tentar transferir um legado aos filhos”.

Luiz Roberto Saviani Rey, jornalista e professor do curso de jornalismo da PUC-CampinasLeitura para as férias

Se Eu Fechar os Olhos Agora”, de Edney Silvestre (Record, R$52,90)

“É um romance policial que te prende. Na verdade, esse tema sempre me atrai e, dessa maneira, é muito bom para passar o tempo no avião”.

Mirele Andretta Morelli, gerente de vendas da Alcaçuz

Leitura para as férias

 “Maria Callas”, de Arianna S. Huffington (Companhia das Letras, R$19,90)

“Este livro nos faz refletir sobre vários temas modernos. Maria Callas era uma mulher poderosa, ovacionada, linda e rica, que teve em sua vida várias demonstrações de superação e vitória, mas sempre foi infeliz. Primeiro uma relação difícil com sua mãe e depois por não se sentir retribuída pelo grande amor de sua vida. O que tem de moderno nisso? Certamente ela teria uma vida de rede social de dar inveja a qualquer um que não compartilhasse de sua intimidade, mas se sentia só entre a multidão que a aplaudia. Vejo isso atualmente. O outro não lhe parece sempre mais feliz e bem resolvido no Instagram?”.

Adriane Gontijo Abdo, assessora de imprensa do Parque D. Pedro Shopping

Leitura para as férias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

vinte + vinte =