O pensamento lógico social e cronológico dos anos 80 mudou e, cada vez mais, as pessoas têm investido o seu capital em experiências ao invés de produtos, e a idade não é um empecilho. Segundo a pesquisa anual da Belta, Associação Brasileira das Agências de Intercâmbio, 365 mil pessoas embarcaram com o objetivo de viver por um tempo em outro país em 2018, dessas, 17,7% tinham 40 anos ou mais.

De acordo com Maura Leão, presidente da Associação, o aumento da procura por intercâmbios dessa faixa etária aumentou significativamente. “Em 2017 foram 15,1%. Outro dado interessante é que 62% das pessoas que embarcaram eram mulheres e estavam viajando sozinhas. É uma independência inspiradora”, comemora.

Para quem deseja embarcar nessa aventura, a Diretora da Belta, Mariglan Gabarra, listou para a Campinas Cafe seis dicas que aprendeu com suas viagens sozinhas após os 40. Acompanhe!

Recupere a sua capacidade de sonhar

Esse é o momento que você vai sair da sua zona de conforto. Por isso, não tenha medo de se desligar da família e estipule um horário para falar com as pessoas no Brasil. Lembre-se de que você tem a mesma capacidade idioma que os mais jovens em aprender um novo. Além disso, tudo depende do tempo que dedicamos para trabalhar nossa mente. Permita-se viver essa experiência.

Um olho no aprendizado e o outro em viver a cultura

Intercâmbio aos 40

O melhor jeito de aprender é na prática, certo? Por isso, não se prenda ao curso de idiomas e viva a cidade! Vá aos lugares que só os nativos frequentam e vivencie a experiência. Dessa forma, ela será única e você voltará realmente mais confiante.

Inclua um curso que tenha a ver com o seu momento atual

Se você trabalha e vê uma perspectiva de crescimento para a sua carreira, cursos de pós-graduação e outros profissionalizantes são uma ótima opção. Existem também modalidades diferentes, como cursos livres de história da arte ou gastronomia, que você pode optar como alternativa aos tradicionais de idiomas.

Atente-se para a escolha do destino

Intercâmbio aos 40

Aqui vale uma análise do seu perfil: qual o clima que se sente melhor, se prefere um local badalado ou mais tranquilo, qual sua verba disponível, entre outros. Lembre-se de respeitar os seus limites e optar por uma cidade que tenha a ver com os seus gostos. Se gosta de calor, vale conhecer Malta, por exemplo, e se prefere o frio, o Canadá pode ser uma ótima opção.

Saúde mental e física

Ficar com receio de viajar por conta da saúde é normal, mas tem solução. Procure um médico e faça um check-up antes de ir para o intercâmbio. Com os exames em dia, você viajará mais tranquilo. Lembre-se também de contratar um seguro viagem que cubra os imprevistos e leve os principais remédios com você, pois pode ser difícil de encontrar no seu destino.

Verifique se a sua agência possui o Selo Belta

Não apenas por conta da segurança, mas também porque as agências certificadas possuem consultores educacionais especializados que fazem a diferença para o sucesso do programa escolhido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

vinte + treze =