https://www.instagram.com/grazicaproni/
                 @grazicaproni

Por Grazi Caproni

As alterações do corpo durante a gravidez são algumas das muitas preocupações que as futuras mamães têm ao longo da gestação: medo de ganhar peso em excesso, de ter estrias, de não conseguir eliminar peso após o parto. Mas, as gravidinhas devem ficar tranquilas, pois ganhar peso é esperado e é possível fazê-lo de forma saudável, para que tudo volte ao normal no tempo certo e seu bebê se desenvolva adequadamente.

A gravidez é um dos melhores momentos para se pensar numa alimentação equilibrada, pois não só a mulher se beneficiará dela, como também, e principalmente, o bebê. Uma mãe bem nutrida é capaz de fornecer todos os nutrientes necessários e pode proporcionar as condições ideais para o desenvolvimento de seu filho.

Há estudos atualmente que revelam, inclusive, que um desajuste alimentar intra-útero pode levar a disfunções tanto ao nascer, quanto na fase adulta da criança. Ou seja, já na barriga o bebê está passando por toda uma programação de seu metabolismo, muito dependente do que a mãe está consumindo. Por isso vale muito a reflexão (seguida de ação!).

 

Mas afinal, grávida come por dois?

Alimentação durante a gestação

Nesse momento, nenhum extremo é bem-vindo, nem pensar em fazer dieta por medo de engordar demais, nem sair comendo tudo o que vê pela frente. O excesso de ganho de peso pode associar-se a problemas como diabetes gestacional ou pré-eclâmpsia. A falta de nutrientes, por outro lado, pode causar déficit de crescimento do bebê e falta de energia na mãe. Mulheres previamente obesas não devem tentar fazer dietas muito restritivas durante a gravidez. Se você não emagreceu antes, não será agora, grávida, que deverá fazê-lo.
O aconselhável é ter uma dieta saudável, evitando apenas os exageros nas calorias, açúcares e frituras. O termo “comer por dois” durante a gravidez é um mito que não deve ser perseguido. Basta um aumento de 200 a 300 kcal por dia na dieta para que a gestante consiga suprir as múltiplas necessidades. Isso é equivalente, por exemplo, a um sanduíche de atum ou duas xícaras de leite semi-desnatado.

Como consumir essa energia adicional?

Alimentação durante a gestação

A gestante deve comer pequenas porções, várias vezes por dia. Não é indicado um jejum maior do que 4 horas durante o período em que esteja acordada. Mais do que nunca, é importante respeitar a sua fome. Observe seu físico, mais do que sua ansiedade, tristeza ou nervosismo – bastante comuns entre as mamães frente a tanta mudança hormonal. Quando você fica muito tempo sem comer, falta energia, pode sentir tontura, enjoo ou até ter desmaios. Agora, se comer demais, poderá ter azia e dor de estômago. Outra situação comum é que algumas mulheres passam a comer um alimento do qual não gostavam tanto e repelem algo que adoravam antes da gravidez. Falo por experiência própria! Adorava um cafezinho toda manhã e agora até o cheiro me incomoda, juro. E olha, não é “mi mi mi” de gestante não viu… rs! Há alguns motivos reais que propiciam isso, como o fato de o olfato ficar mais aguçado, os enjoos e vômitos que podem modificar o paladar, e a própria oscilação hormonal que também influencia os “novos” gostos.

 

Alimentos aliados

Alimentação durante a gestação

Além de garantirem o desenvolvimento do bebê, alguns alimentos ajudam a diminuir sintomas desagradáveis, como inchaço, insônia e prisão de ventre, e a minimizar o risco de doenças, como hipertensão e diabetes gestacional. Ômega 3, encontrado em peixes, linhaça, chia e suplementos disponíveis no mercado; legumes coloridos e folhosos, principalmente verde-escuros, ricos em ácido fólico e magnésio; fibras, através das folhas, frutas e farelos integrais; o ferro presente nas carnes; o cálcio contido em leite, derivados (as opções fermentadas, como os iogurtes, podem ter melhor digestibilidade), ervas aromáticas como orégano e manjericão frescos e nozes – essenciais para a formação dos ossos e dentição, e prevenção da anemia; ovos cozidos, fonte de colina, nutriente imprescindível para o desenvolvimento do cérebro do feto; gorduras saudáveis do abacate, azeite extra-virgem e castanhas.

 

Desejos

Alimentação durante a gestação

Se você tiver um desejo daqueles, vá em frente e coma. Comendo na paz e sem culpa, você não exagera. O ideal, durante a gravidez, é ter um cardápio bem variado e com todos os grupos alimentares, ou seja: carne, ovos, laticínios, oleaginosas, frutas, legumes, verduras, carboidratos, enfim, faça refeições bem completas. Beba bastante líquido (água, água de coco natural, sucos frescos) nos intervalos das refeições. Lembre-se de comer duas vezes melhor! Curta cada transformação desse momento mágico! Apesar de ser uma fase muito diferente, trazendo ânsias e receios, trás também muito amor e passa muito rápido. Mais tarde, você se lembrará de cada etapa muito provavelmente com saudades. Então, aproveite mulher!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

dois × 5 =