O outono é uma das épocas que mais geram queixas de aumento na queda de cabelo. Segundo o tricologista João Gabriel Nunes, isso acontece pela maneira que os fios são cuidados e por fatores naturais. “O cabelo tem ciclos e uma das hipóteses mais consideradas é a teoria evolutiva. O período mais frio é o momento em que os animais precisam de uma maior cobertura de pelos, por isso há um aumento de produção, e consequentemente, a queda acentuada”, explica o doutor.

Com a chegada das estações mais frias como o outono, a luminosidade natural e as temperaturas ficam menores, e as pessoas se protegem do frio em lugares fechados, evitando os raios solares. Dessa forma, as células produtoras de melanina produzem menos deste pigmento, diminuindo a cor e brilho dos cabelos, o que deixa um aspecto menos saudável, além da queda.

Essa irregularidade pode durar de um a três meses e é conhecida como eflúvio telógeno. “Pode ser que a pessoa tenha além do ciclo natural do cabelo, uma queda normal do período de transição capilar, que ocorre a cada 2 anos aproximadamente. Pode ser que nessa fase a troca de fios seja com o outono”, comenta o doutor.

João Gabriel comenta que no frio há o costume de tomar banhos com água muito quente, o que não tira a oleosidade presente no couro cabeludo. O correto é lavar os cabelos com água morna para fria. “Água muito quente e uso do secador retiram toda a proteção natural do couro cabeludo. Isso faz com que o organismo entenda que ele precisa produzir mais óleo, gerando um ciclo vicioso que será prejudicial aos cabelos”, explica.

cabelo

Tanto mulheres quanto homens sofrem com a perda dos fios. Porém, o público feminino, muitas vezes, deixa de lavar o cabelo por um longo tempo por ter receio de aumentar a queda, o que na verdade aumenta a oleosidade e gera acúmulo de fios, que vão se soltar na lavagem seguinte. Esse excesso favorece a perda precoce dos fios, além de ser um fator que causa algumas doenças no couro cabeludo, como a dermatite seborreica.

No inverno, a atenção com os fios deve ser a mesma e até mais rigorosa, com a utilização de produtos específicos, como shampoos e loções para cada tipo de cabelo. Esse cuidado, assim como a alimentação deve ser regrado. Outra estação em que a queda é um assunto nos consultórios é o verão, pois a quantidade de radiação solar é maior e provoca uma inflamação um pouco mais exacerbada, gerando queda do folículo piloso e deixando esse ciclo mais intenso.

O doutor explica que alguns hábitos podem prevenir o problema, como o uso de vitaminas capilares e uma dieta rica em legumes, nozes, frutas vermelhas e frutos do mar por terem minerais como zinco, magnésio, ômega 3. De qualquer forma, é importante consultar um tricologista para identificar a causa da queda e fazer o tratamento correto, pois muitas pessoas acabam optando por receitas caseiras, o que pode piorar o quadro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

dezenove − 9 =