Por Lucas Estevam 

                  @estevampelomundo

O deserto do Atacama tem 105 mil km quadrados e é onde ficam cinco dos 15 estados chilenos. Ele não se parece com nada e, tirando a Islândia, é o único lugar em que me senti fora do planeta Terra. Fiz uma viagem com um grupo de seguidores do Instagram e do Youtube e foi uma experiência incrível, por isso vou compartilhar com vocês meu roteiro no Atacama de cinco dias. Ah, detalhe: Atacama não é cidade. Ficamos em San Pedro do Atacama, no Hotel Puritama, e os passeios foram programados pela agência Flavia Bia Expediciones!

DIA 1:

Acordamos prontos para o primeiro passeio, nas Lagoas Escondidas de Baltinac. São sete lagoas de uma cor azul inacreditável. Infelizmente, apenas duas são abertas para banho, mas a água é tão salgada que você não vai querer ficar muito tempo lá dentro. Tomamos um café da manhã digno de cinema e aprendemos um pouco sobre a história do deserto do Atacama. Existem partes do deserto que não chovem há séculos! Porém, em San Pedro do Atacama, costuma chover de 45 a 50 milímetros por ano! O valor para entrar no Parque das Lagoas Escondidas de Baltinac é de 5.000 pesos chilenos.

DIA 2:

Saímos para conhecer o Valle de la Luna. Como o próprio nome diz, parece que você está caminhando sobre a lua, de tão lindo que é. O trekking é muuuito tranquilo!  Fui de tênis de academia e bermuda. Nada de bastões ou botas caras pra este passeio. Finalizamos o dia com um pôr do sol lindo e vinho! Mesmo no verão, venta muito no Atacama. Por isso, eu sempre tinha um casaco corta vento. Esse passeio custa 3.000 pesos chilenos.

DIA 3:

Os Geysers do Atacama farão você acordar cedo! Saímos às 5h, vimos o sol nascer na estrada e ao chegarmos lá, um lindo fenômeno acontecia: os Geysers! Eles existem apenas em regiões com vulcões ativos, por conta do magma incandescente. A fumaça é linda e ver a água jorrando também! O jato de água atinge uns 50 centímetros, mas mesmo assim, mantenha distância, pois pessoas já morreram ao tentar tocá-los. Logos depois, tomamos um delicioso café da manhã e pudemos nadar em uma pequena lagoa com a água a 28 graus (enquanto lá fora fazia -10)! Às 10h, saímos para ver algumas lagoas e um povoado de apenas oito pessoas, onde existe um famoso espetinho de carne de lhama. Não comi, pois havia acabado de abraçar um monte delas. Voltamos para a rua Caracoles e almoçamos no restaurante La Estaka e tomamos um sorvete na famosa Heladeria Babalu. O pôr do sol foi na Laguna Tebinquiche, que significa lugar de encontro de pássaros negros.

DIA 4:

Começamos o dia onde passa o trópico de capricórnio. Lá perto é um lugar famoso pelas fotos na estrada. Visitamos as duas Lagunas Altiplanicas, onde a cor da água parece de mentira. Após isso, fomos a um lugar no meio do deserto almoçar. Neste exato momento, foi quando tive mais certeza ainda de ter escolhido a melhor agência do Atacama. O serviço prestado é surreal! O Sandro e o Ramon montaram uma cozinha no meio do deserto e cozinharam camarões, arroz, batatas, ceviche, legumes, hambúrguer vegano e até mesmo sobremesas! Para finalizar o dia, fomos à Laguna Chaxa, famosa por ser casa de centenas de flamingos e um tapete branco formado pela alta salinidade do solo.

DIA 5:

Acordei triste pelo fim da viagem. Mas, feliz por poder fazer o Trekking Guatin, rumo a Puritama! O Trekking é super leve (quase duas horas parando para tirar fotos). O caminho é lindo e vimos cactus que demoram 18 meses para crescer cinco centímetros! Finalizamos o passeio nos termas de Puritama. São sete piscinas naturais com uma água quentinha. A Flavia montou um super almoço e ainda ofereceu uma massagista para nos acompanhar! Em lugares remotos, como o Atacama, o barato pode sair muito caro, e investir em uma agência de confiança e com estrutura, irá fazer sua viagem única!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

5 × 2 =