De acordo com a última pesquisa realizada pelo FlipeZap, o preço médio dos imóveis ficou praticamente estável nos primeiros dez meses de 2019, com alta de 0,02%, uma variação menor que a inflação, estipulada em 2,58% no mesmo período. Para o presidente da Habicamp (Associação Regional da Habitação) de Campinas, Francisco de Oliveira Filho, isso representa um saldo positivo para o mercado imobiliário para o final do ano. Mercado imobiliário em Campinas

“Está gradativamente melhorando, ou seja, não está ainda no ponto que necessitamos, porque houve uma perda muito grande de mão de obra da construção civil. Então, o mercado imobiliário necessita de novas tecnologias para ter um produto melhor para ser vendido”, explica o presidente. Além disso, Francisco explica que a mão de obra especializada da construção civil passa por uma migração para as demais áreas.

O panorama campineiro

Segundo dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a população de Campinas arrecadou R$ 1,8 bilhão em impostos nos últimos dez meses deste ano. Esse número é 6% maior ao valor pago no mesmo período do ano passado.

Entre os impostos arrecadados foram considerados o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) e o Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), além de impostos federais, como Imposto de Renda (IR) e Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), além dos tributos estaduais.

De acordo com o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Filho, o recolhimento na área imobiliária também mostra essa alta do setor. “Os investidores começam a dar um credito maior para o mercado imobiliário”, explica. Mercado imobiliário em Campinas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

2 × quatro =