A força, os ensinamentos e a obra de um dos maiores educadores brasileiros são trazidos ao palco pelo ator Richard Riguetti na peça “Paulo Freire, o Andarilho da Utopia”, que será apresentada em Campinas dias 19 e 22 de julho. O ator campineiro, radicado no Rio de Janeiro, encena o espetáculo no Barracão Teatro (Barão Geraldo) e no Auditório da Associação de Docentes da Unicamp.

Paulo Freire
Foto: Dalton Valério

No Barracão, as sessões acontecem nos dias 19 e 21 de julho (sexta-feira e domingo), às 20h. Os ingressos são gratuitos, limitados e devem ser retirados no local uma hora antes do espetáculo. Na Unicamp – exclusivamente para discentes e alunos – a apresentação será no dia 22 (segunda-feira), às 19h. A realização é do Grupo Off-Sina e do Espaço Cênico. Como as apresentações são gratuitas, o público pode contribuir com a quantia que quiser durante a passagem do “chapéu consciente”, após cada espetáculo.

Sobre a peça

Com elementos de linguagem do teatro de palco, de rua e do circo, “Paulo Freire, o Andarilho da Utopia” oferece, em um monólogo de 70 minutos, uma reflexão sobre a sociedade e o planeta em constante mudança, a partir da ótica freiriana.

O protagonista é interpretado pelo ator Richard Riguetti. Junio Santos assina o roteiro e Luiz Antônio Rocha é responsável pela encenação. O ator e o diretor promovem uma roda de conversa com os espectadores sobre o mestre patrono da educação brasileira após cada apresentação.

“Elencamos a figura de Paulo Freire por acreditarmos na abrangência e na profundidade da educação que ele propõe. A teoria freiriana, que tem como uma de suas bases o diálogo, possibilita a conscientização dos jovens com o objetivo de formar cidadãos transformadores das ordens social, econômica e política”, comenta Richard.

Paulo Freire
Foto: Dalton Valério

Conversar com Nita Freire, viúva do pensador, foi o primeiro passo para a elaboração da peça. “Ela se encantou com a nossa proposta, e esse encontro nos alimentou durante todo o processo, para que a gente organizasse o nosso ato no sentido da afetuosidade”, conta o ator. De acordo com ele, a principal característica que norteou a produção foi a amorosidade de Paulo Freire em relação ao mundo, às pessoas e aos seres vivos, além do profundo respeito ao diálogo, à compreensão e à aceitação das diferenças.

O dramaturgo Junio Santos explica que é complicado extrair o conteúdo do texto entre tantos materiais significativos escritos por Paulo Freire. “Criamos roteiros cenopoéticos – ou seja, temperados com cantigas e poemas – para propagar a esperança que não cansa na voz, no corpo e na força que desejamos imprimir com o espetáculo”, ressalta.

Serviço


“Paulo Freire, o Andarilho da Utopia”

Data: 19 e 21 de julho
Local: Barracão Teatro (Rua Eduardo Modesto, 128 – Vila Santa Isabel – Barão Geraldo), em Campinas
Horário: 20h
Ingressos: No chapéu. Para o dia 19, serão distribuídos 40 ingressos com uma hora de antecedência do início do espetáculo. Para o dia 21, a apresentação é fechada para convidados, porém será feita uma lista com aqueles que não conseguirem entrar na sessão de sexta-feira (19/07).

Data: 22 de julho
Local: Auditório da Associação de Docentes da Unicamp (Av. Érico Veríssimo, 1479 – Cidade Universitária), em Campinas
Horário: 19h
Reservas pelo e-mail: imprensa@adunicamp.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui