Por Rodrigo Domingues

seucesso profissional
                @profrodrigodomingues

Eis que ressurge o sol de derreter o asfalto. É tempo também em que tudo fica diferente: o clima de Natal, as correrias de final de ano e as férias (pelo menos para a maioria) chegando! A mente tende a ficar mais ansiosa e os níveis de estresse, por vezes, aumentam.

Mas, como tudo na vida, isso também passará e logo estaremos naqueles dias de maior relaxamento. Viajando ou em casa, de férias, os cuidados com nossa saúde física não podem ser preteridas em prol das festas. É muito comum vermos meses de treinamento irem “pro espaço” nestes dias de mesas fartas. Em meio a perus e champanhes, aquele regime e aquela resistência física conquistadas à duras penas sofrem, frequentemente, consideráveis perdas.

Então, você leitor da Campinas Café, dedicado como é, buscará alternativas por onde estiver passando seu merecido relax. Porém, é aqui que cabem as ressalvas que julgo importantes. Por exemplo, caminhar ou correr na praia é sempre muito agradável, mas se nos últimos meses você buscou o pilates para minimizar as dores de coluna, cuidado, pois talvez elas voltem. Os impactos das passadas, mesmo na areia, não são saudáveis àqueles que sofrem com dores articulares. Nestes casos, um alongamento seria mais conveniente associado a alguns exercícios funcionais, incluindo o bom e velho abdominal. Já aquele típico futebol entre amigos, enquanto a carne assa na churrasqueira, igualmente requer cautela, afinal, por vezes, estamos com aquela lata de cerveja ali do lado. O problema, neste caso, é a desidratação acelerada, afinal, além de perder água pelo suor também irá perder pela urina (a micção sempre aumenta quando bebemos álcool). Sem falar do calor excessivo.

Já na alimentação, estes dias são um dos meus maiores exemplos de que as dietas restritivas são problemáticas. Não recomendo a nenhum de meus alunos que tome alguma delas como prática, pois diante de uma mudança na rotina, seu metabolismo irá se resguardar ao máximo daquela situação anterior e, então, usará aquele deslize na dieta para armazenar (gordura) o máximo possível, afinal, isso é um mecanismo de autodefesa.

Mas, vamos às boas notícias. Fisiologicamente falando, em 15 dias não há perda significativa de massa muscular ou capacidade cardiopulmonar. Você pode, claro, manter-se ativo através de atividades pelas quais você se sinta seguro e previamente orientado por seu treinador ou personal trainer. Se onde você estiver hospedado houver uma academia, aproveite e treine em uma intensidade menor (cargas mais leves e velocidades de esteira / bike menores). Estes períodos de transição são bem-vindos ao corpo, até porque, muitos meses seguidos em alto rendimento não é bom. Há de se ter equilíbrio na estimulação muscular. Enfim, relaxe, mas não tanto. Treine, mas não tanto!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

16 − 5 =