por Prof. Esp. Rodrigo Domingues

O verão sempre foi a estação preferida dos brasileiros. Com o horário de verão então, aquela promessa de tempos atrás, de se fazer uma caminhada, finalmente ganha força. Igualmente comum é termos também uma certa letargia, aquela típica “moleza” que nos abate ao longo de um daqueles dias de derreter o asfalto. E não é só impressão sua não! De fato nossa pressão arterial tende a cair e nosso metabolismo diminui. Se no inverno a tendência é de termos mais apetite, no verão nosso organismo se defende contra a temperatura interna excessiva, controlando-se na sua intensidade, e consequentemente gerando menos calor.
E para manter nosso corpo na faixa dos 36ºC, a perda de água através do suor é o caminho mais eficiente. A consequente sensação de sede é para que aquela água expelida seja reposta, porém esperando-se em temperatura inferior. É por isso que beber água fria ou gelada tende a hidratar mais eficientemente.
Todavia, se já sentimos sede ao longo do dia, mesmo sem atividade física, o que esperar quando saímos de bike ou fazendo aquele cooper? Pois espere, nesta época do ano, mais dificuldade do que no inverno! O suor irá tornar seu sangue mais espesso por conta da perda de água, e consequentemente a dificuldade do coração em bombeá-lo pelo corpo será maior. Os sais minerais igualmente irão faltar e os músculos podem falhar. Não à toa, os maus súbitos em academias ou durante a prática de exercícios físicos tendem a acontecer em dias mais quentes.
Para tanto, duas situações valem ser consideradas. Primeiramente, jamais almeje emagrecer suando em maior quantidade. Suor não é gordura! Portanto, use roupas bem leves. E junto com isso, faça uma hidratação eficiente, ou seja, não espere ter sede para beber água. Pequenos e frequentes goles são determinantes, inclusive nas 2 horas precedentes à sua malhação. Nem vou pedir para você evitar as horas mais quentes, né? No demais, siga firma rumo a uma vida ativa e feliz. Boa sorte e até a próxima!

Tags