COMPARO A COLUNA COM O ALICERCE DE UMA CASA E OS MÚSCULOS, AO CONCRETO

por Professor Rodrigo Domingues

A dores na coluna lideram o ranking de afastamentos médicos no Brasil

Ela é formada por 33 vértebras sobrepostas, e quase todas separadas por pequenos discos. Em seu interior passa a medula espinhal, com todas as informações neurais que lhe compete. Entre diversas funções, a de nos manter eretos é uma das principais. Eis aqui então a nossa coluna vertebral, singelamente descrita! É aquela típica estrutura corporal que não pensamos muito, até ficamos de cama, tamanha a dor.
Uma única referência, um único dado estatístico sobre ela é mais do que suficiente para você considerar fortemente os cuidados para com nosso “alicerce”. Trata-se de um recente levantamento do Ministério da Previdência Social, onde as dores na coluna lideram o ranking de afastamentos médicos no Brasil. Podemos ir além, reforçando o que verifiquei em uma grande indústria, na qual a somatória dos casos da segunda à quinta patologias que mais afastavam seus funcionários não alcançavam o total daqueles diagnosticados com dores na espinha dorsal.
Todavia, para nos atermos ao que me compete, as atividades físicas, reforço que 72% dos pacientes diagnosticados com lombalgia em clínicas particulares de reumatologia, têm características sedentárias (fonte: UFSE). A questão é que este empilhado de ossos não se fixa sozinho, ou seja, depende de outras estruturas, sendo o principal, os músculos. Costumo orientar meus alunos comparando a coluna com o alicerce de uma casa e os músculos, ao concreto. Um alicerce fraco, com concreto mal feito vai provocar trincas na parede. Estas “trincas” seriam as hérnias, inflamações no nervo ciático, artroses, etc… A boa desta historieta é que a sapiência da mãe natureza nos permite injetar mais concreto. Para tanto, fortalecer os músculos eretores da coluna e os abdominais é determinante. Sim, os abdominais também, pois eles têm papel determinante na sustentação do nosso tórax.
E você, leitor astuto que é, já concluiu que aqueles exercícios abdominais da escola vão ter que voltar à tona, não é mesmo? Mas se você já está sofrendo com dores, porém sem impeditivos médicos, também pode e deve exercitar-se imediatamente, afinal, a tendência é doer cada vez mais com o avanço da idade, aumento de peso corporal e perda de massa muscular. Mas procure profissionais que possam lhe ajudar a prescrever exercícios adequados, ok?

Boa sorte pra você e sua coluna, e até a próxima!

Tags